Como cultivar orquídeas no vaso corretamente

 

Como cultivar orquídeas,  veja alguns cuidados que valem a pena para que elas fiquem com uma boa aparência e para que mantenham-se sempre saudáveis. Amar a natureza não é o suficiente, é preciso entende-la! Muitos cuidados são necessários, desde a escolha da espécie ideal para seu ambiente, irrigação, iluminação e ventilação. Então, neste artigo, separamos algumas dicas úteis, que farão toda a diferença para cuidar dessas tão amadas flores para evitar possíveis danos futuros e até mesmo a perda por mau cultivo.Escolha o tipo certo de orquídea

Dendrophy

 

Existem mais de 3000 tipos de orquídeas e, quando decidimos plantar um deles, surge a dúvida: qual o ideal para a minha casa? A resposta depende de uma série de fatores como umidade do local, ventilação e, o principal deles, o quanto de luz elas irão receber, principalmente a solar. Sabe-se que a maioria das orquídeas precisa do sol para a sobrevivência, outras não podem com a os raios solares diretamente nelas. Por isso, saber o local onde irá cultivar suas plantas é fundamental.

Como cultivar orquídeas com pouca ou muita luz.

Orquídeas que precisam de bastante luz indireta: Cattleya, Dendrobium e Vanda: elas são um tipo que precisa de luminosidade intensa.

Orquídeas que apreciam sol direto: Epidendrum fulgens e Cymbidium.

Orquídeas que podem ser cultivadas com menos luminosidade: Phalaenopsis, Ludisia discolor (a orquídea joia), e a maioria das micro-orquídeas.

Cuidados para cultivá-la em vaso

Seus Cuidados exige outros esforços além do local onde elas ficarão posicionadas. Um problema comum na cultivação é o uso de vasos plásticos, que podem causar um excesso de irrigação e encharcar a planta. O ideal é optar por vasos de barro: mesmo sendo mais caros, eles possuem mais porosidade, o que faz a água ser drenada mais facilmente.

Vale a pena investir para cuidar de orquídeas de maneira mais efetiva, tendo resultados muito melhores e plantas mais bonitas. Além disso, é importante que os vasos sejam adequados ao tamanho de cada uma delas: opte por vasos maiores sempre que possível e o posicione em um local adequado para o seu tipo de orquídea.

Como cultivar orquídeas em apartamento

Hoje em dia, a maioria das pessoas vive em apartamentos, o que faz com que as plantas fiquem cada vez mais de lado, por falta de espaço ou até mesmo de conhecimento. Algumas dicas são importantes para entender melhor Como cultivar orquídeas em locais menores e com baixa luminosidade:

– Se o seu andar for muito alto, o ideal é posicioná-las atrás das varandas ou janelas, para que fiquem protegidas do vento forte.

– Geralmente, apartamentos voltados para a parte sul, costumam receber menos luz, o que é propício para diversas espécies de orquídeas. A dica é descobrir para qual direção o imóvel se encontra e escolher as plantas ideais para ele. Para as menores, fica mais fácil transportá-las entre os cômodos, evitando sol e ventos intensos. Já as maiores precisam de cuidado extra com a escolha do local onde ficarão. Sempre que puder, instale telas de proteção nas varandas e janelas, pois elas irão dosar a entrada de luz e ainda evitar o vento excessivo. Lembre-se que elas são muito sensíveis, por isso as dicas precisam ser levadas à risca, para não haver problemas futuros, como parasitas, por exemplo.

Localização: É extremamente necessário que a planta fique em um local onde o vento não seja forte e que receba luz natural pela manhã. Porém, é preciso lembrar que a radiação solar excessiva pode fazer com que as folhas se quebrem. Opte por uma luz indireta fraca e a observe. É importante ter a opção de mudar a posição da sua orquídea de acordo com o clima. No verão, por exemplo, o sol fica mais forte e ela pode não resistir. Já no inverno, o vento se torna mais frio, logo, é recomendado que ela não fique em locais onde a ventilação é direta. Baixe o manual Completo.

Como cultivar orquídeas De Diferentes Tipos

phalaenopsis cuidados necessários

Como cuidar de orquídeas corretamente

Esse é um tipo muito procurado de orquídeas, por sua magnifica beleza e cor amarelada. Mas, existem uma série de cuidados que o tipo Phalaenopsis pede. Separamos alguns dos cuidados de como cultivar orquídeas desse tipo de maneira eficiente:

Regando: Essa espécie não pede muita água, então atente-se ao excesso de rega. Verifique se há necessidade de regar olhando as folhas, para que não estejam muito secas. No verão, pode-se aumentar um pouco a quantidade de água, mas sem exageros.

Adubação: É importante que a planta seja adubada cerca de uma ou duas vezes ao mês. Dê preferência aos orgânicos.

Floração: Essa é uma parte que muitos têm em relação à como cultivar orquídeas. Logo após a floração da sua Phalaenopsis, quando as flores murcham e secam por completo e são manualmente removidas. Para isso, corte com tesoura de poda no terceiro nó da haste floral da planta, é comum brotar uma nova haste que vai fazer sua Phalaenopsis gerar uma segunda floração no mesmo ano, quando bem tratada. Após uns meses, logo que a planta estiver com quatro folhas de cerca de quatro centímetros cada e emanando duas ou três raízes de até 3 centímetros, faça o corte da nova muda pela haste, um pouco abaixo e replante a nova muda em outro vaso menor.

Como plantar orquídeas em troncos e árvores

Muitas pessoas se perguntam como plantar e cuidar em troncos e árvores, deixando o ambiente com uma cara muito mais natural e bonita. Para responder à isso, separamos mais algumas dicas úteis:

– Primeiro, é importante saber se o seu tipo de planta é daqueles que utilizando de outras para se desenvolver, as chamadas epífitas. As que costumam ter essa características são as espécies Dendrobium, Oncidium, Cattleya, Miltonia, as micro-orquídeas e Phalaenopsis, que citamos acima os cuidados necessários.

Aro

– Depois, é essencial que a escolha da árvore seja adequada, pois elas costumam preferir as que possuem casca rugosa e grossa, como a árvore de flamboyant. As que perdem folhas no inverno também são recomendadas.

– Feitas as escolhas, é só amarrar a planta no tronco da árvore. O ideal é que a planta esteja na fase de emissão de novas raízes, o que ajudará muito no processo de fixação. Depois, siga as dicas de como cultivar orquídeas, como a escolha do local levando em consideração a luz solar e ventilação.

– Geralmente, as plantas que são fixadas em troncos, exigem pouca ou quase nenhuma adubação.

Como saber se a luminosidade está certa?

Não há dúvida maior em relação à como cuidar de orquídeas do que a questão da luminosidade. A parte mais importante a ser levada em conta é conhecer seu gênero e tipo, como citamos logo acima. Algumas plantas exigem mais ou menos exposição à luz, mas é preciso lembrar que a grande maioria delas é sensível ao sol direto. Por isso, sempre que houver dúvidas, evite os raios solares intensos.

Para quem já comprou sua planta e não sabe qual o tipo, o ideal é observar seu comportamento e ir alterando o local até encontrar o que mais a agrade. Coloque-a primeiro em varandas ou quartos, onde a luminosidade é média e perceba se suas folhas estão amareladas ou não. Jamais faça o teste expondo a orquídea direto ao sol, isso poderá queimá-la e até matá-la. Para quem ainda não escolheu o tipo, separamos algumas das mais comuns espécies, para que você perceba qual é a ideal para seu tipo de imóvel:

Conheça os tipos mais procuradas e iluminação ideal

Cattleya – Gosta de boa luminosidade, mas sem luz direta.

Phalaenopsis – Não suportam a luz solar direta nos horários mais quentes. A proteção varia conforme o local, por exemplo, a indicação do sombrite pode variar a uma proteção de 50 a 70%, ou mais. Para ser mais direta, gosta de menos luminosidade que as Cattleyas. Em um orquidário, você pode colocar as Cattleya em prateleiras mais altas e as Phalaenopsis nas mais baixas.

Dendrobium – A maioria tolera alta luminosidade, inclusive, pode receber luz solar de forma direta no início da manhã. Em geral, aprecia luminosidade de 60%.

Oncidium – Apreciam luminosidade em torno de 50%.

Paphiopedilum – A luminosidade pode variar entre 60 a 70% em climas amenos e mais a meia-sombra em climas quentes.

Vanda – Gosta de muita luz solar, e precisa de boa luminosidade para florir. Um dos maiores casos de falta de floração é devido a baixa luminosidade.

Laelia – O grau de luminosidade varia muito entre plantas deste gênero. Algumas precisam estar a pleno sol, como o caso das que vivem entre rochas. Já outras, devem ser cultiva em ambiente com pouca luminosidade, nesses casos estou me referindo as espécies da Mata Atlântica.

Orquídeas de vanda como plantar e cuidar

O cultivo de vanda são cada vez mais comuns em paisagismos, pois adaptam-se a diversos ambientes. Algumas dicas são importantes sobre como cultivar orquídeas desse tipo:

– Rega: As vandar são uma espécie que adora água, por isso, regue-as bem, de preferência todos os dias.

– Ventilação: Diferente da maioria das espécie de orquídeas, as Vandas suportam ventos fortes. O ideal é estarem em locais bem arejados, pois sofrem se estiverem abafadas.

– Luminosidade: Essa espécie gosta de bastante luminosidade, evite deixá-la em locais com privação de luz solar.

– Adubação: Quando os botões já estiverem definidos, evite borrifá-los com adubo.

Neste artigos, elucidamos alguns pontos específicos para te ajudar nesta tarefa de como cultivar orquídeas e deixar seu ambiente mais bonito e mais repleto de natureza. É importante saber as maneiras corretas de como cultivar orquídeas, por serem plantas que exigem cuidados para estarem sempre floridas e trazendo muito mais alegria a qualquer lugar.

Conhecendo as Orquídeas mais Raras e caras e os diferentes tipos

Para sanar sua curiosidade, separamos os tipos mais caros de orquídeas pelo mundo. São eles:

1. Cattleya walkeriana ou ‘Feiticeira’

1. Orquídea Cattleya walkeriana
Esta espécie é uma orquídea brasileira, de cor e forma excepcionais. Encontrada na década de 1960, nunca mais foi vista na natureza. Cada exemplar é vendido por mais de R$ 1.500.

schilleriana 2. Cattleya

schilleriana Cattleya

Esta também é uma espécie brasileira, que atualmente encontra-se extinta na natureza. No mundo inteiro, ela só podia ser encontrada em uma região específica do Espírito Santo.

3. Fredclarkeara After Dark

Fredclarkeara After Dark

Eis uma espécie de orquídea negras. Trata-se de um híbrido desenvolvido a partir de múltiplos cruzamentos, com o propósito de obter a coloração negra. Esta planta é uma raridade entre as flores de modo geral.

4. Paphiopedilum Rothschildianum

Dendrophy

 

Considerada a orquídea mais rara e cara entre a família de espécies Paphiopedilum, conhecidas como “sapatinhos”, nome atribuído em razão do formato.

5. dendrophylax lindenii

Flor crescendo em tronco de arvore

Espécie conhecida como ghost orchid (em português, orquídea fantasma). Ela é chamada assim pela aparência e pelo fato de não possuir folhas, apenas raízes e flor.

Como cultivar orquídeas De Diferentes Espécies

Muitas pessoas têm dúvidas em relação a como plantar orquídeas, principalmente por serem plantas que possuem uma infinidade de espécies diferentes, sendo que cada uma delas pode precisar de um cuidado específico diferente. Algumas, precisam de mais ou menos sol, outras resistem bem à altas temperaturas e ao frio, outras precisam ser protegidas no vento frio para não quebrarem. Separamos neste artigo as espécies mais conhecidas e as formas de plantas orquídeas que mais funcionam e as mantém sempre bonitas e bem coloridas.

Como cultivar orquídeas Vanda:

Orquídea Vanda

Essa é uma espécie muito conhecida pelos paisagistas, por serem bem atraentes em questão de beleza e funcionalidade. São as mais resistentes que existem e costumam suportar temperaturas elevadas. Porém, precisam de muita água: o ideal é regar todos os dias. Evite a exposição solar direta e adubos químicos.

Cymbidium:

Cymbidium

Essa espécie gosta de menos água, por isso, regue-a apenas quando perceber que as folhas estão secas, no máximo duas vezes na semana. É preferível cultivá-las em vasos, porque suas raízes têm dificuldade de aderência em árvores. Uma dica é regar com água gelada no verão – não muito – por essa planta deriva de países com clima temperado.

orquídeas Paphiopedilum crescer como:

Paphiopedilum

Este tipo de orquídea também detesta sol direto, evite ao máximo. Sua irrigação pode ser feita duas vezes na semana e a adubação a cada quinze dias, no máximo. Assim como o exemplo acima, cultive-a em vasos, por ela não aderir à árvores.

Oncidium:

Oncidium

Já esta espécie de planta, consegue se adaptar de forma positiva às árvores, porém, também pode ser cultivada em vasos sem problemas. É uma orquídea muito durável, sua rega deve ser feita duas vezes na semana e a adubação demora mais, cerca de três meses.

Cattleyas:

Cattleyas

Este é o xodó dos cultivadores. Adapta-se muito bem à árvores, mas atente-se: não pode ficar ao sol direto. Sua adubação pode ser feita a cada três meses apenas, podendo ser complementada a cada 15 dias com adubo químico. Apesar da sua boa adaptação às árvores, também pode ser cultivada em vasos sem problemas, lembrando sempre de se mante-la a sombra. Pode ser regada apenas uma vez por semana, já que não exige muita água.

Phalaenopsis:

Orquídea-Rara

Uma espécie que exige um pouco mais do cultivador, por não se adapta muito em ambiente úmidos ou ao excesso de água, podendo ter complicações se for regada demais. No verão, a rega é feita duas vezes na semana e no inverno apenas uma. Uma dica importantíssima: observe se a água não se acumulou entre as folhas, pois isso pode causar o apodrecimento das mesmas. É uma espécie que precisa ser observada diariamente. A luminosidade não pode ser direta e a adubação deve ser feita a cada quinze dias.

Como cultivar orquídeas Epidendrum:

Título: Epidendrum

 

Um tipo de orquídea mais escolhido, por sua fácil forma de cultivação. Ela se adapta em diferentes ambientes, tanto de sol pleno ou na sombra. Também é adaptável em árvores ou na terra. É muito usada para decoração de jardins, já que é super durável. Sua adubação é rara: apenas uma vez ao mês. Deve ser regada apenas duas vezes na semana no verão. Já no inverno, uma vez é o suficiente.

Lembramos sempre que todas as dicas dão um parâmetro geral dos cuidados e de como plantar orquídeas. É sempre interessante, quando houver um plantio, que se tenha algum aprofundamento sobre o assunto, especificamente sobre o tipo de espécie escolhida. Também vale lembrar que todas precisam de observação diária. Caso note que as folhas estão amareladas ou perdendo a cor, tente mudar sua planta do lugar, escolhendo um que tenha mais ou menos luz solar, por exemplo.

Dica Extra, Como deixar suas plantas anabolizar

>>> Baixe O Manual Completo <<<

Qualquer duvida sobre Como cultivar orquídeas deixe um comentário.

Voltar A Home: Como cuidar de Orquídeas Manual Completo.